O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou ontem (4) que o governo optou por não promover concursos públicos nos próximos anos. A declaração foi feita durante a tarde em audiência pública na Comissão de Finanças de Tributação (CFT) da Câmara.

 

“Nos últimos anos, houve excesso de contratações. Os salários subiram ferozmente”, disse. “Nas nossas contas, 40% dos funcionários públicos devem se aposentar nos próximos cinco anos. Não precisa demitir. Basta desacelerar as entradas que esse excesso vai embora naturalmente. Vamos ficar sem contratar por um tempo e vamos informatizar”, completou.

 

O ministro destacou ainda algumas medidas tomadas recentemente para desburocratizar os serviços públicos, como a simplificação da abertura de empresas. Guedes acrescentou que a metodologia será estendida a outros serviços, mas não deu mais detalhes.

 

O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020 não prevê a realização de concursos públicos. Neste mês, entrou em vigor a nova regra para os pedidos de concursos, que passarão a ter a análise centralizada no Ministério da Economia. A pasta pretende conceder autorizações apenas em casos excepcionais.

 

Salário mínimo – O ministro também afirmou na reunião que não garante reajuste real do salário mínimo para 2020. Segundo ele, ainda não há decisão sobre a nova fórmula de correção do piso salarial.

 

 

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário