O Flamengo venceu o Vasco por 2 a 0 neste domingo (14), no Nilton Santos, e abriu boa vantagem na final do Campeonato Carioca. O resultado deve muito à grande atuação de Bruno Henrique (foto), que marcou duas vezes e foi o principal jogador em campo.

No próximo domingo o Flamengo poderá até perder por um gol de diferença que ficará com o titulo. Caso o Vasco vença por dois gols, o campeonato será decidido nos pênaltis.

O técnico do Flamengo, Abel Braga, finalmente deu o braço a torcer e colocou Arrascaeta no time titular mesmo com todas as peças à disposição. Pior para Diego, que parou no banco de reservas. O uruguaio fez sua parte e mostrou bom futebol. Participativo, ele procurava dar velocidade e tornar o jogo mais dinâmico.

O Vasco, por outro lado, tinha como objetivo segurar o Flamengo. Se os primeiros minutos foram de toques de bola rápido e de futebol convincente, o Cruzmaltino tratou de equilibrar o duelo e manter o jogo preso no meio de campo. Fora uma chance com, Pikachu, a partida ficou bem feia e sem emoção.

Sumido do jogo, Maxi López mostrava estar melhor fisicamente. O argentino deu alguns piques em campo que não ocorriam há poucos dias. Apesar da melhora, o atacante não teve grandes participações no primeiro tempo. Ele apareceu bem em um contra-ataque que terminou nas mãos de Diego Alves.

No segundo tempo, Bruno Henrique foi novamente um dos grandes personagens do clássico. Ele levou um cartão amarelo e ficará de fora da finalíssima. O atacante, então, decidiu colocar seu nome na história da final e abriu o placar. Danilo Barcelos afastou mal e a bola sobrou para o rubro-negro chutar para o fundo das redes: 1 a 0.

Bruno Henrique poderia ter sentido o momento ao ter o gol anulado. Mas ocorreu justamente o contrário. O atacante não deixou a peteca cair e marcou o segundo dele e do Fla na sequência. Ele aproveitou bobeada na zaga e finalizou firme para vencer Fernando Miguel: 2 a 0.

 

Corinthians – 

O São Paulo contou com o apoio da torcida que lotou o Morumbi e pressionou o Corinthians durante a maior parte do jogo, mas não conseguiu sair de um 0 a 0 na primeira partida da final do Campeonato Paulista.

As melhores oportunidades criadas pelo Tricolor pararam em mais uma excelente atuação de Cássio e na falta de pontaria dos atacantes. Com um time bastante ofensivo escalado por Cuca, o São Paulo foi mais presente no ataque e teve chances claras, mas Nenê e Everton Felipe erraram o alvo, enquanto Arboleda e Hernanes viram Cássio fazer grandes defesas. Já o Corinthians se segurou bem e atacou pouco, principalmente com as escapadas de Clayson, mas pareceu satisfeito com o empate fora de casa.

O resultado mantém a disputa pelo título completamente aberta. Às 16 horas (de Brasília) do próximo domingo (21), os rivais se reencontram na Arena Corinthians para a finalíssima. Em caso de novo empate, a taça será decidida nos pênaltis

O São Paulo preencheu melhor o campo de ataque no primeiro tempo, em parte por vencer duelos individuais, em parte por repetir uma estratégia usada pelo Santos na última segunda-feira (8). Assim como Jorge Sampaoli fez na semifinal, Cuca fez seus dois laterais afunilarem e atacarem por dentro quando o Tricolor teve a posse de bola. Assim, ganhou em quantidade e facilitou as infiltrações.

O estilo de jogo do Corinthians deixou Gustagol isolado em boa parte do clássico. Ele participou pouco do jogo porque o Alvinegro não teve a bola no pé em ataques pensados; na velocidade dos ataques pelos lados, a bola não chegava para o centroavante finalizar. O centroavante foi muito buscado pelo alto e foi pego no contrapé em um rebote. Cabeceou uma bola com perigo na etapa final.

Um dos principais jogadores do Corinthians na temporada, o volante Júnior Urso precisou ser substituído logo aos 28 minutos após sentir a virilha em um lance com Reinaldo. O corintiano bloqueou um chute do são-paulino e ficou no chão sentindo muitas dores. O técnico Fábio Carille não teve escolha a não ser lançar Richard em seu lugar.

Já nos acréscimos do primeiro tempo, a torcida do São Paulo chegou a soltar o grito de gol, mas a bola não passou da linha. Cássio fez uma defesa espetacular em cabeçada de Arboleda após cobrança de escanteio, e a bola ainda tocou na trave antes de ser afastada pela defesa do Corinthians. Foi a melhor chance tricolor no primeiro tempo.

Folha press

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Seleção feminina decide hoje vaga para a 2ª fase contra a Itália

A Seleção brasileira entra em campo às 16h desta terça-feira (18) em Valenciennes, contra a Itália, pela terceira rodada da Copa do Mundo Feminina. Em jogo, está o futuro da…

CBF empareda diretoria do belo e dá prazo para que reenvie laudo sobre o Almeidão

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) emparedou ontem (18) a diretoria do Belo-PB e deu um prazo de até amanhã para que a Federação Paraibana de Futebol envie um novo…