João Pessoa, 19 de Novembro de 2018
Paraíba
08/11/2018 as 17:19min - PB Agora
XVIII SINAOP mostra experiências na área dos resíduos sólidos na PB

Mais um minicurso de aperfeiçoamento dos procedimentos de auditoria e de execução e fiscalização de obras e serviços de engenharia, realizado na tarde desta quarta-feira (7), no plenário ministro João Agripino Filho, movimentou a programação paralela do XVIII SINAOP - Simpósio Nacional de Auditoria em Obras Públicas, que acontece na sede do TCE-PB. Os instrutores foram os técnicos Fernando Bernardes (TCE-MS) e Fernando Celso Morini (TCM-SP), que falaram sobre o tema “Dimensionamento e composição de custos de coleta de RSU.

 

O instrutor Fernando Morini abriu os trabalhos às 14h, no plenário João Agripino, falando sobre suas experiências no dimensionamento de frota nos serviços de coleta dos resíduos sólidos urbanos (RSU), apresentando estudos realizados nas cidades de São Paulo e Florianópolis. Nessa exposição, buscou especificar a qualidade dos resíduos, percurso e frequência da coleta e aproveitamento da equipe.

 

Destacou a importância das cidades onde existem pesagem dos resíduos, situações raras no Brasil, mas que facilitam e melhoram a qualidade dos serviços e, principalmente, o aproveitamento dos resíduos, que depende muito da otimização dos trabalhos, observando que em Florianópolis, apesar de se configurar numa área urbana diversificada, o processo apresenta avanços importantes, especificamente no reaproveitamento dos resíduos. Exemplificou que no Japão apenas 4% do lixo coletado vai para o rejeito.

 

Na sua exposição, o Morini mostrou planilhas para dimensionar a coleta dos resíduos em cidades de pequeno porte, na média de 15 mil habitantes, as técnicas utilizadas, e também em relação a outras com perímetros urbanos maiores e populações acima dos 200 mil habitantes. Todo esse processo foi apresentado com dados técnicos e números oficiais que serviram de parâmetro para a aferição da quantidade dos resíduos gerados pela cidade ao mês, apresentando, inclusive, formulas adotadas em relação a cada município e suas peculiaridades.

 

Coube ao auditor Fernando Bernardes, do TCE-MS a apresentação dos procedimentos utilizados para a composição dos custos, visando a formação do preço total. Ele iniciou sua fala expondo vertentes importantes a serem utilizadas no processo, a citar os componentes fixos e variáveis a serem considerados. Citou alguns exemplos de custos fixos, como o valor do veículo utilizado com base do ano do chassi e do compactador de resíduos. Combustível, pneus óleo, manutenção e demais componentes possibilitam a média para os custos variáveis, somando-se a isso os gastos com as equipes de coleta.

 

As atividades do XVIII SINAOP aconteceram também em outras salas e no auditório principal do Centro Cultural Ariano Suassuna. A programação prossegue até a sexta-feira (9), com palestras, debates, apresentação de artigos técnicos e estudos de casos especiais. Realizado pelo IBRAOP e TCE-PB, o simpósio conta com o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), do Instituto Rui Barbosa (IRB), do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-PB) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Paraíba (SEBRAE-PB).

 

Ascom TCE – 08 11 2018

 

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Compartilhe