João Pessoa, 21 de Abril de 2019
Paraíba
01/04/2019 as 09:00min - PB Agora
Confira o vídeo divulgado pelo Governo Federal em alusão à Ditadura

“O Exército nos salvou. Não há como negar. E tudo isso aconteceu num dia comum de hoje, um 31 de março”, diz umas das partes.

Conforme a determinação do presidente Jair Bolsonaro de comemorar o golpe de 64, o Palácio do Planalto divulgou um vídeo neste domingo, 31, em defesa da ditadura militar.

O conteúdo indica que o regime que durou 21 anos no Brasil, na verdade, teve como objetivo conter o avanço da ameaça comunista no país e teve o apoio da população brasileira – que pediu pela intervenção para acabar com o período de medo. “Foi aí que, conclamado por jornais, rádios, TVs e, principalmente, pelo povo na rua, povo de verdade, pais, mães, igreja que o Brasil lembrou que possuía um Exército Nacional e apelou a ele. Foi só aí que a escuridão, graças a Deus, foi passando, passando, e fez-se a luz”, destaca uma das partes.

Em outro momento, o vídeo diz que a paz foi instituída pelas forças armadas e que esse fato não tem como ser alterado. “O Exército nos salvou. O Exército nos salvou. Não há como negar. E tudo isso aconteceu num dia comum de hoje, um 31 de março. Não dá para mudar a história”.

O jornal O Estado de S. Paulo questionou a assessoria do Planto, mas a resposta obtida e que eles não vão se pronunciar. Segundo o veículo, a equipe confirmou que o canal usado para disparar o vídeo é mesmo oficial. “Sobre o vídeo a respeito do dia 31 de março, ele foi divulgado por meio de nosso canal oficial do governo federal no WhatsApp. O Palácio do Planalto não irá se pronunciar”.

O golpe de 64 completa 55 anos neste domingo, 31. A Comissão Nacional da Verdade, órgão criado para apurar os crimes contra dignidade humana durante a ditadura, aponta que 434 pessoas foram morreram ou desapareceram durante o regime. Até hoje, apenas 33 corpos foram localizados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: catracalivre + REDAÇÃO

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Compartilhe