João Pessoa, 15 de December de 2017
Policial
27/09/2011 as 09:18min - PB Agora
Cão morre após agressão em pet shop

Uma cadela yorkshire morreu num pet shop de Curitiba, na semana passada, depois de ser agredida por um funcionário.

A cadela Mia havia sido levada para banho e tosa. Durante o procedimento, dia 17, o funcionário teria se sentido ameaçado pelo cachorro, que tentou mordê-lo, de acordo com a informação repassada pelo pet shop ao dono de Mia, Bruno Maziero.

Segundo Maziero, a yorkshire media cerca de 30 cm e pesava cerca de 2 kg.

O funcionário acertou a cadela na cabeça com uma rasqueadeira, instrumento usado para tosar o pêlo de cães. Mia teve uma parada cardiorrespiratória e traumatismo craniano, de acordo com laudo veterinário produzido pelo próprio pet shop, e morreu em seguida.

O laudo também informa que o cachorro se encontrava "clinicamente sadio" ao chegar à loja, por volta das 15h. A morte ocorreu às 16h50, por "possível traumatismo craniano".

O documento relata a presença de "edema e sangramento na região do crânio" de Mia.

Maziero e sua namorada, a quem pertencia o cachorro, receberam uma ligação após o incidente e, ao chegarem ao pet shop, já encontraram a cadela morta.

A loja demitiu o funcionário, que trabalhava no local havia cerca de um ano, e ofereceu uma nova cadela yorkshire para o casal, na tentativa de "minimizar a dor".

O pet shop também bancou todos os custos com a cremação de Mia e ofereceu um enxoval completo para a nova cadelinha, que foi aceita por Maziero.

O casal registrou um boletim de ocorrência da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente de Curitiba.

O dono do pet shop e o funcionário devem ser ouvidos na quarta-feira e podem ser responsabilizados por maus-tratos a animais.

O gerente da loja Petshow, Luciano Mafra, afirma que em nenhum momento o estabelecimento se eximiu da culpa e que procurou fazer tudo o que estava ao seu alcance para "reparar a perda" dos clientes.

"Mas, claro, é algo que a gente não consegue fazer. Todos nós somos donos de cães e sabemos o que eles estão passando. É algo irreparável."

A Petshow funciona há cerca de dez anos e atende de 120 a 150 cães aos sábados, dia de maior movimento e quando a cadela morreu.

Mafra afirma que os veterinários da loja socorreram o animal imediatamente após o incidente e tentaram reanimá-lo, mas não conseguiram. "Foi extremamente rápido", diz.

Folha

Compartilhe