Uma mulher foi mantida em cárcere privado por quase dois meses em João Pessoa. O acusado de praticar o crime é um homem que se apresentava como pastor evangélico. Ele foi detido, na tarde desta quinta-feira (06). Além do cárcere, a vítima também informou que era vítima de agressões físicas.

A polícia só teve conhecimento do caso após denúncia de vizinhos. Uma equipe foi até o local e comprovou o fato.

A delegada Cláudia Germana Santos, responsável pelo caso, relatou que a mulher havia conhecido o acusado há cerca de quatro meses pela internet e, há aproximadamente dois meses passou a residir na mesma casa do pastor, com a promessa de casamento, mas a partir daí o martírio teria sido iniciado. “Ele a espancava muito, cuspia sobre ela, impedia que ela saísse de casa sozinha e ainda reteve o celular dela “, contou a delegada.

Tudo teria começado por conta da venda de um veículo. O suposto pastor teria tentado obrigar a vítima a vender o carro que tinha com a justificativa de que seria para fundar uma igreja, mas como a mulher se negou, as agressões se acentuaram.

O homem foi preso no apartamento da vítima e não reagiu à prisão. Ele foi autuado por prática de crimes de cárcere privado, lesão corporal, injúria, previstos no Código Penal Brasileiro e Lei Maria da Penha.

A audiência de custódia do acusado deve acontecer nesta sexta-feira (06).

PB Agora

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PF apreende 1,5 tonelada de maconha do tipo skunk no Litoral da PB

Uma operação da Polícia Federal apreendeu, neste fim de semana, uma tonelada e meia de maconha prensada do tipo skunk em João Pessoa e Cabedelo. Esta é uma variação da…

Turista de PE é encontrado morto dentro de quarto de flat na capital

Uma morte vem sendo investigada pela polícia da capital, trata-se que um turista do Recife, em Pernambuco, foi encontrado morto dentro de um quarto do Victory Flat, no bairro de…