João Pessoa, 12 de December de 2017
Saúde
05/10/2017 as 05:26min - PB Agora
Paraíba tem segundo maior índice de pessoas com deficiência no país

 A Paraíba é o segundo Estado com o maior índice de pessoas com deficiência do país, com um a cada quatro habitantes declarando conviver com algum tipo de limitação visual, auditiva, motora ou mental. De acordo com dados do último Censo do IBGE, em 2010, dos 3.766.834 habitantes no Estado, 27,76%, que representam 1.045.631 pessoas, declararam ter ao menos um tipo de deficiência. Em todo o país são mais de 45,6 milhões de pessoas com deficiência, e ao redor do mundo, este número chega a um bilhão, segundo informações das Organizações das Nações Unidas (ONU).

“O Estado tem que reabilitar o deficiente com o que existe de melhor, está na Constituição. Oferecendo políticas públicas e serviços de saúde adequados, além de produtos de alta qualidade. Quanto melhor a prótese ou órtese, melhor para o usuário. Mas em um país sem recursos, a maioria das pessoas portadoras de deficiência é obrigada a utilizar produtos de baixíssima tecnologia. Falta ao Brasil melhorar muito a concepção de órteses e próteses”, destacou o presidente da Associação Brasileira de Ortopedia Técnica (Abotec), Peter Kuhn.

Para discutir as principais inovações na área de reabilitação e a inclusão social de milhões de pessoas: acessibilidade e autonomia, cerca de 400 especialistas em ortopedia técnica de seis país (Brasil, Estados Unidos, Holanda, Alemanha, Argentina e Colômbia) irão se reunir em João Pessoa, entre os dias 3 e 6 de outubro, durante o V Congresso Latino- Americano e o XI Congresso Brasileiro de Ortopedia Técnica.

O evento será no Hotel Tambaú e tem promoção da Associação Brasileira de Ortopedia Técnica (Abotec). Ao todo, serão 30 palestras sobre temas relevantes da área, além de cursos de capacitação, workshops e exposição de tecnologias, equipamentos e produtos. Durante quatro dias, os participantes debaterão inovações e tecnologias que estão a serviço dos profissionais e dos portadores de deficiência física, como próteses biônicas, sistemas de confecção de próteses com auxílio do computador, novas tecnologias em cadeiras de rodas, novos sistemas de avaliação de paciente amputados, entre outros assuntos.

Redação

Compartilhe