João Pessoa, 12 de Dezembro de 2018
Saúde
02/12/2018 as 11:24min - PB Agora
Mulheres gestantes na Capital poderão se submeter a exames para detectar a trombofilia

As mulheres gestantes na cidade de João Pessoa terão, a partir de agora, o direito ao exame que identifica a trombofilia e ao tratamento da doença na rede de saúde pública do município. Isso será possível graças ao Projeto de Lei Ordinária (PLO), de autoria da vereadora Raíssa Lacerda (PSD), aprovado durante sessão e votação de matérias na última quarta-feira (21), na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

O PLO institui o Programa de Exame de Trombofilia no Município, com o objetivo de garantir uma gestação mais segura às mulheres que têm a doença. A vereadora Raíssa alerta no projeto que a trombofilia se caracteriza por promover alterações na coagulação sanguínea que resultam em um maior risco para trombose, e pode ser adquirida ou hereditária.

Segundo ela, a doença atinge os dois sexos, mas em mulheres gestantes a trombofilia pode gerar mais complicações, como abortamentos, partos prematuros, eclâmpsia, trombose nos membros inferiores ou embolia pulmonar.

Conforme o texto do projeto, a investigação deverá começar na primeira consulta com o obstetra ou ginecologista. A ideia é possibilitar ao profissional de saúde conhecer o histórico familiar da paciente, investigando se há parentes de primeiro grau com trombose ou gravidez com complicações e outros fatores hereditários. Como a trombofilia pode ser hereditária, ter parentes de primeiro grau com trombose ou gravidez com complicações devem ser sinal de alerta.

As mulheres que têm trombofilia devem fazer tratamento durante toda a gestação, já que a trombofilia provoca uma falha no sistema de coagulação sanguínea.

O Projeto de Raíssa Lacerda vem recebendo o apoio de centenas de médicos da Capital paraibana e de outros Estados brasileiros. O renomado médico obstetra, Domingos Mantelli, elogiou, em seu #Repost @domingosmantelli @download_repost, a iniciativa da parlamentar pessoense e comentou que “até que enfim as autoridades desse país estão abrindo os olhos quanto à necessidade da investigação das trombofilias, já na primeira gestão.

A matéria vai para o prefeito Luciano Cartaxo sancionar. Raíssa Lacerda faz questão de frisar que a proposta vai beneficiar milhares e milhares de mulheres gestantes da Capital, que sofrem com o problema de saúde, precisam de tratamento médico, no decorrer da gestação, e também carecem dos exames para detectar a doença. “Muitas mulheres já morreram por conta da trombofilia, por falta de medicamento e a ausência do diagnóstico da doença”, ressaltou Raíssa, que acredita na sensibilidade do prefeito em favor da causa.  

 

 

Redação com CMJP

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Compartilhe