João Pessoa, 19 de Março de 2019

COLUNISTAS

Política
28/01/2011 as 11:34min - Marcos Souto Maior Filho
2011/2013 - Abraham Lincoln e a advocacia paraibana

Mais uma vez surpreendido com a desenvoltura do Desembargador Abraham Lincoln da Cunha Ramos, na qualidade de Presidente eleito do Tribunal de Justiça da Paraíba, através da rede social twitter (@alincoln2010), divulgou os nomes de alguns dos seus principais auxiliares.

Na verdade não foi bem uma surpresa, até porque, como advogado militante conheço bem o estilo arrojado e inovador do desembargador Abraham Lincoln.

Dentre os principais auxiliares da gestão TJ-PB 2011/2013 estão os juízes auxiliares da presidência: Dr. Leandro dos Santos e Dr. Jose Ferreira Ramos Junior; diretor de Fórum da Comarca da Capital – Cível, Dr. Fabio Leandro de Alencar Cunha; diretor de Fórum da Comarca da Capital – Criminal, Dr. Carlos M. Beltrão Filho; diretor de Fórum da Comarca da Capital – Mangabeira, Dr. Manoel Gonçalves Dantas de Abrantes; diretor do Fórum da Comarca de Campina Grande; Dr. Antonio Reginaldo Nunes.

Na parte administrativa foram anunciados o Diretor Especial: Dr. Robson Cananea; Diretora Judiciária: Dra. Carmen Lucia Fonseca de Lucena; Diretor de Economia e Finanças: Dr. Márcio Aírton Vilar de Carvalho; Diretoria de Gestão de Pessoas: Dr. Einstein Roosevelt Leite; Diretoria Gestão Estratégica: Dr. Francisco de Paula Barreto Filho; Diretor de Informação Institucional: Dr. Itapuan Botto Targino; Diretoria Jurídico-Administrativo: Dr. Eduardo Faustino Diniz.
O Poder Judiciário, com absoluta certeza, estará muito bem representado pela nova mesa diretora formada pelos desembargadores Abraham Lincoln da Cunha Ramos (presidente), Leôncio Teixeira Câmara (vice-presidente), Nilo Luis Ramalho Vieira (corregedor-geral da justiça) e o dinâmico desembargador Saulo Benevides no comando da Escola da Magistratura Paraibana.

Em sua primeira entrevista à imprensa o futuro presidente do Poder Judiciário paraibano, traçou suas principais metas administrativas: “Vou fazer uma gestão aberta, transparente e ouvindo as reclamações de nossos servidores e magistrados de primeira instância. Não será uma tarefa fácil dirigir este Tribunal com o orçamento que temos, mas farei de tudo para garantir uma remuneração digna aos nossos servidores e melhores condições de trabalho para os juízes. Tudo para garantir uma prestação jurisdicional mais célere e eficaz”.

A tarefa do novel presidente não será fácil, mas o seu DNA indica descendência vinculada diretamente ao judiciário da Paraíba, sendo filho do emérito professor e magistrado, desembargador Miguel Levino Ramos e da senhora Olga Ramos, além de seus irmão e grandes magistrados da Paraíba, desembargador Márcio Murilo Cunha Ramos e o juiz Wolfram Cunha Ramos.

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional da Paraíba, tem obrigação de participar ativa e destemidamente dos momentos porque passa o judiciário paraibano. Este, num imobilismo criticado por muitos, sem grandes avanços para a classe.

Os advogados desejam participação e o devido acatamento às prerrogativas institucionais garantidas na Constituição e Estatuto da Advocacia, aliada ao tratamento respeitoso e cordial com os funcionários do poder judiciário. Isto em razão do meu pessoal entendimento de que os serventuários são responsáveis por mais de cinqüenta por cento do impulsionamento e atividades do Judiciário.

O momento é de festa e confraternização entre todos os operadores do direito, e a classe dos advogados deposita as maiores e melhores expectativas nesta nova administração já desenhando importantes ares de modernidade e de estabelecimento de diálogo franco e respeitoso com os advogados.

Compartilhe

COMENTÁRIOS