O Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) rejeitou recurdo da defesa da ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Rosilene Gomes, e manteve a condenação de 5 anos de reclusão e multa. De acordo com o texto, a pena deverá ser cumprida inicialmente em regime semiaberto.

Rosilene foi condenada por furto qualificado e pesa contra ela também a condenação de concurso de pessoas, ou seja, quando mais de uma pessoa cometem juntos um delito. Os advogados da ex-dirigente recorreram alegando que houve cerceamento de defesa.

Segundo a sentença, ficou comprovado que em 2014 Rosilene ordenou que Antônio Alves Gonçalves, Kléber Fábio Pereira de Lima e Genildo Januário da Silva furtassem materiais esportivos da sede da FPF. Os objetos pertenciam à entidade e somavam o valor de R$ 15 mil.

Kleber Fábio e Genildo Januário foram absolvidos, mas Antônio Alves Gonçalves e a ex-presidente da FPF foram condenados. A defesa aind apode recorrer.

 

PB Agora

 


Saiba mais sobre Certificação Digital no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas Certificação Digital. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Chuva causa novo deslisamento na barreira do Cabo Branco; veja a previsão do tempo

O coordenador da Defesa Civil, Noé Estrela informou que nas últimas 72 horas choveu mais de 368 milímetros, na cidade de João Pessoa. Ainda segundo o órgão, neste domingo (16),…

Quatro candidatos disputarão o cargo de Procurador-Geral de Justiça na Paraíba

Quatro integrantes do Ministério Público da Paraíba (MPPB) registraram interesse em disputar a eleição para o cargo de Procurador-Geral de Justiça, que tem eleição marcada para julho. Entre eles, o…