O Ministério da Educação (MEC) suspendeu a avaliação do nível de alfabetização das crianças brasileiras por dois anos.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (25) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do MEC responsável pelos exames, que fazem parte do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). 

O anúncio contraria determinação do governo de Michel Temer, que, em dezembro passado, afirmou que as autoridades passariam a verificar a alfabetização infantil mais cedo, aos 7 anos (2º ano do ensino fundamental).

A prova de português havia sido marcada para outubro deste ano, depois que índices registraram defasagem no aprendizado de crianças desde o ensino básico e preocuparam o governo. Os estudantes também não farão avaliação de matemática.

De acordo com o Inep, serão mantidas as provas para alunos que estão no final do período escolar, ou seja, entre o 5º e 9º ano do ensino fundamental, e no 3ª ano do ensino médio. 

Em nota à imprensa, o órgão informou que a prova foi adiada para 2021, “quando as escolas de todo país tiverem implantado a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e estiverem ajustadas às políticas de alfabetização propostas” pelo governo Bolsonaro.

A decisão chamou atenção de professores e educadores, uma vez que a alfabetização foi anunciada como prioridade nas principais metas do governo na Educação.

Com a mudança, perde-se a possibilidade de comparar a evolução dos níveis de alfabetização das crianças, que fizeram a prova em 2014 e 2016.

“Estudo-piloto”

Na mesma portaria desta segunda-feira, o Inep também tomou a decisão de alterar outras duas determinações do Saeb de 2019.

Anteriormente, estava definida a aplicação de uma prova de Ciências da Natureza e Ciências Humanas em escolas privadas, com a finalidade de comparar o desempenho dos estudantes. Agora, a avaliação será feita apenas nas escolas públicas.

Outra mudança foi em relação à prova para a educação infantil (0 a 5 anos). Pela primeira vez nos índices de educação do Brasil, havia a previsão de todas as creches e pré-escolas passarem por avaliações.

O objetivo era que professores e educadores das escolas respondessem questionários sobre estrutura, projeto pedagógico e materiais. Agora, a portaria prevê que uma amostra seja avaliada, “em caráter de estudo-piloto”.

Procurado para esclarecer as mudanças, o MEC não se pronunciou até a publicação desta reportagem.

MEC paralisado

A suspensão da prova foi uma das poucas decisões que o MEC conseguiu tomar nos últimos dias, uma vez que o ministro da pasta, Ricardo Vélez Rodrígues, está envolvido em disputas internas e enfraquecido.

No entanto, o documento do Saeb precisava ser publicado para que as provas dos alunos mais velhos não atrasassem.

Exame

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Provas objetivas do concurso da Educação são marcadas para o mês de julho

As provas objetivas do concurso público para área de Educação da rede estadual de ensino estão previstas para acontecer no dia 21 de julho. Ao todo, 43.097 candidatos tiveram as…

Sai a primeira chamada da lista de espera da UFCG

Estão sendo convocados 1.168 candidatos para o preenchimento de vagas remanescentes