O Ministério da Educação (MEC) anunciou o corte de verbas de três Universidade Federais nesta terça-feira (30). A Universidade Federal Fluminense (UFF), a Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade de Brasília (UNB) foram as primeiras terem o orçamento bloqueado em 30%.

O MEC não esclareceu quais foram os critérios adotados para a seleção das três universidades. Em nota, o ministério diz que os bloqueios acontecem de forma que nenhum programa seja prejudicado e que os recursos seja utilizados de forma mais eficaz. (Leia a nota na integra abaixo)

No dia 25 de abril, o Ministro da Educação Abraham Weintraub comentou em rede social sobre o redirecionamento de verba do ensino superior para "fins mais produtivos".

Em entrevista ao jornal "Estado de S. Paulo", o ministro comentou o corte de verbas na UFF, UFBA e UNB: "Universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas. A lição de casa precisa estar feita: publicação científica, avaliações em dia, estar bem no ranking ”, disse sem esclarecer quais rankings.

Em nota, a UNB disse que não foi notificada do corte, mas verificou o bloqueio de 30%, o equivalente a R$ 38 milhões, no seu orçamento: "Importante ressaltar que a UnB é uma das universidades com reconhecida excelência acadêmica no país, atestada em rankings nacionais e internacionais. Temos nota 5, a máxima, no Índice Geral de Cursos (IGC) do MEC, a avaliação oficial da pasta para os cursos de graduação".

A UNB também esclareceu que não promove eventos de cunho político-partidário em seus espaços: "Como toda universidade, é palco para o debate livre, crítico, organizado por sua comunidade, com tolerância e respeito à diversidade e à pluralidade".

Leia a nota do MEC na íntegra:

"O Ministério da Educação informa que UFBA, UFF e UNB tiveram 30% das suas dotações orçamentárias anuais bloqueadas. O MEC informa, ainda, que não envia comunicados a respeito do orçamento a nenhuma instituição, todos os dados são visualizados pelo SIAF. Nesse sentido, cada uma pode informar os impactos do bloqueio em sua gestão. A medida está em vigor desde a última semana.

Cabe destacar que, o Ministério estuda os bloqueios de forma que nenhum programa seja prejudicado e que os recursos sejam utilizados da forma mais eficaz. O Programa de Assistência Estudantil não sofreu impacto em seu orçamento".

G1

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

UFCG divulga 5ª chamada da lista de espera do Sisu 2019.2

Estão sendo chamados 136 candidatos A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) publicou, na manhã desta terça-feira, dia 16, a quinta chamada para vagas remanescentes da lista de espera no Sistema…

Paraíba tem 147.181 inscritos no Enem 2019 e provas em 51 cidades

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) segue preparando a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As provas serão realizadas nos dias 3…