O Superior Tribunal de Justiça Desportiva faz hoje, a partir das 11 horas, a sua última reunião do Pleno em 2018 com a apreciação de oito processos, entre eles, a notícia de infração do Sport Lagoa Seca, ex-Sport Campina, contra a Perilima, que teria usado jogador de forma irregular no Campeonato Paraibano da Segunda Divisão, tendo chegado ao vice- campeonato e conseguido o acesso à Primeira Divisão.

No processo de número 427 com a relatoria da Dra. Arlete Mesquita, o São Paulos Crystal entra como litisconsorte, pois pode ser beneficiado com a eliminação da Perilima já que terminou a competição em terceiro lugar na classificação geral.

O processo estava no TJD da Paraíba há dias, mas por falta de julgamento foi avocado pelo STJD a pedido dos interessados. O Dr. Eduardo Araújo será o defensor do Sport Campina. Na ocasião, as duas solicitações, uma do São Paulo Crystal, terceiro colocado na Segundona, e a outra do Sport Lagoa Seca, quarto colocado geral mas eliminado pela Perilima na semifinal da competição, vão ser analisadas. Ambos estão de olho na vaga na 1ª divisão do Paraibano de 2019.

Todo esse imbróglio acontece devido ao fato de que a Perilima, equipe de melhor campanha geral da primeira fase do Campeonato Paraibano da 2ª divisão e vice-campeã ao fim da competição, ter sido acusada de escalado o atleta Brenno Yuri de forma irregular durante cinco partidas da fase classificatória. A princípio, o caso estava a cargo do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB). Inclusive, o tribunal da esfera estadual esteve com o processo por dois meses e, apesar de o procurador, Fernando de Moura Neto, ter indeferido o pedido do Sport-PB e solicitado o arquivamento da ação, o presidente Ricardo Barros descartou arquivar e levou o caso para julgamento.

No entanto, na Paraíba, a situação não teve um desfecho nem mesmo em primeira instância, o que levou tanto o Carneiro quanto o Tricolor de Cruz do Espírito Santo a perderem a paciência e entrarem diretamente em contato com o STJD através do presidente Paulo César Salomão Filho, que aceitou o pedido na última terça-feira.

Vale ressaltar que nos dois documentos de resposta do Superior Tribunal aos clubes paraibanos, Paulo César Salomão reforçou o caráter de urgência em um desfecho para a situação. Isso porque o início do Campeonato Paraibano de 2019 está marcado para 12 de janeiro. E, diante desse cenário, em caso de pena máxima para a Perilima, o time de Campina Grande pode até perder a vaga na competição, sendo necessário um ajuste no regulamento e na tabela.

 

 

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Futuro do Campinense é uma incógnita e Conselho pode convocar novas eleições

Com a desistência de Erivaldo Ferreira, que elencou entre os motivos para não assumir o cargo de presidente do Campinense a dívida gigantesca que o clube tem, principalmente com processos…

Ex-diretor de Comunicação assume Conselho Deliberativo do Campinense

Em reunião realizada no estádio Renatã, na noite desta segunda-feira (17), o conselheiro Paulo Gervany, de 44 anos,, foi eleito como o novo presidente do Conselho Deliberativo do para o…