Por pbagora.com.br

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), divulgou nota, nesta terça-feira (13), repudiando a matança de cachorros por parte da prefeitura da cidade de Igaracy, no Sertão paraibano, na semana passada. O caso teve uma grande repercussão negativa na Paraíba e em todo o Brasil na quarta-feira (07).

 

“Tirar a vida de animais, de maneira brutal, não é medida sanitária e nem preventiva de doenças. Também não é modelo de moralidade e eficiência de gestão pública. Trata-se, uma vez comprovado, de crime ambiental”, diz trecho da nota. 

 

NOTA DE REPÚDIO

 

Em virtude da chacina de cães ocorrida no município paraibano de Igaracy, no dia 06/03/18, a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), torna pública a sua posição de repúdio à barbárie contra dezenas de animais daquela cidade, tornada pública e com divulgação nacional.

 

Tirar a vida de animais, de maneira brutal, não é medida sanitária e nem preventiva de doenças. Também não é modelo de moralidade e eficiência de gestão pública. Trata-se, uma vez comprovado, de CRIME AMBIENTAL, como preceitua o art. 32 da Lei 9.605/98.

 

Dessa forma, a OAB-PB, através da Comissão de Direito Animal, acompanhará in loco a investigação criminal contra os responsáveis pela matança dos animais, com a certeza de que, observado o devido processo legal, a JUSTIÇA será a resposta para os munícipes de Igaracy e todos que lutam por uma sociedade onde o respeito à vida e a civilidade estão na ordem do dia.

 

Paulo Antônio Maia e Silva

Presidente da OAB-PB

Francisco Jose? Garcia Figueiredo

Presidente da Comissa?o de Direito Animal da OAB-PB

 

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PB Agora/Datavox: veja avaliação do prefeito e de Bolsonaro em Nova Floresta

A administração do atual prefeito da cidade de Nova Floresta recebeu a aprovação de 80,6% dos entrevistados na pesquisa PB Agora/Datavox divulgada nesta quinta-feira. Apenas 13,4% disseram que reprovavam a…

Duas horas após arrematar Hotel Tambaú, Grupo Arnaldo Gaspar desiste da compra

Duas horas após arrematar, em leilão virtual, o HOtel Tambaú pelo valor de R$ 40 milhões, o Grupo Arnaldo Gaspar solicitou o cancelamento da compra. O documento foi encaminhado ao…