A Associação Paraibana de Imprensa emitiu nota, nesta quinta-feira (16), contra os últimos ataques sofridos por profissionais de imprensa nas coberturas políticas na Paraíba.

O texto repudia todo e qualquer tipo de tentativa de intimidação e agressão a profissionais filiados ou não a esta entidade, e exige respeito ao trabalho da imprensa, lembrando que eventuais excessos devem ser questionados na esfera judicial, mas nunca na base da tentativa de intimidar o profissional ou a categoria.

Leia a nota completa: 

A imprensa livre é uma conquista de toda sociedade brasileira que foi alcançada com muita luta, suor e infelizmente até sangue. A imprensa livre é um dos principais pilares de qual  quer democracia. A imprensa livre sempre cumpre um papel de suma relevância em momentos de acirramento, crise e embates, sendo indispensável para bem informar a população, revelar fatos e denunciar irregularidades, quando for o caso.

Apesar da conquista da imprensa livre no Brasil já perdurar há décadas, de tempos em tempos, os que fazem jornalismo no país, seja na TV, no rádio, no impresso ou na internet, viram alvos de críticas e em alguns casos, ataques, ora coletivo envolvendo toda categoria, ora individual envolvendo um de seus membros.

Na Paraíba, o acirramento político constante, e o histórico acompanhamento dos fatos políticos por parte da imprensa paraibana, tem levado a algumas autoridades constituídas pelo povo a questionarem o trabalho da imprensa, com ilações, acusações, denuncias e até agressões verbais, descabidas e acintosas. Nos últimos dias, pelo menos, três detentores de mandatos, de correntes políticas diversas, fizeram uso deste expediente de querer descredibilizar o trabalho da imprensa.

A Associação Paraibana de Imprensa, compreendendo o papel fundamental desenvolvido pela imprensa do Estado, vem a público em primeiro lugar, repudiar veementemente todo e qualquer tipo de tentativa de intimidação e agressão a profissionais filiados ou não a esta entidade; exigir das autoridades respeito ao trabalho da imprensa, lembrando que eventuais excessos devem ser questionados na esfera judicial, mas nunca na base da tentativa de intimidar o profissional ou a categoria; pedir que o bom senso prevaleça tanto entre os profissionais de imprensa, quanto entre os detentores de mandato, uma vez que este clima de acirramento não faz bem a nenhuma das partes envolvidas, muito menos a sociedade paraibana, que tem o direito de ser bem informada sobre todos os fatos e sobre todos os ângulos da notícia.

Por fim, a API ressalta que, independente de qualquer aspecto, estará onde sempre esteve: na defesa intransigente da imprensa livre, da democracia e do direito a informação.

 

Redação

 


Leia mais notícias sobre o mundo jurídico no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Campina Grande antecipa feriados e prorroga medidas restritivas

Na tarde desta segunda-feira (25), o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), anunciou, além da ampliação de medidas de combate à propagação do novo coronavírus, a antecipação dos feriados…

Covid-19: Paraíba ultrapassa 8 mil casos; 2.200 já se curaram da doença

O Governo da Paraíba, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgou no final da tarde desta segunda-feira (25) um novo boletim epidemiológico do novo coronavírus (Covid-19). Segundo o…