João Pessoa, 22 de Janeiro de 2018
Policial
17/07/2017 as 08:13min - PB Agora
 Incidência do Aedes aegypti aumentou para 7,2% em CG

O índice de incidência do mosquito Aedes aegypti aumentou de 4,9 para 7,2, o que representa 47% de março para julho, em Campina Grande. O número faz parte do Levantamento Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), que colheu dados de 3 a 11 deste mês.



O mau costume de jogar lixo em lugares inadequados é o fator mais atuante neste crescimento, segundo a vigilância ambiental. A auxiliar administrativa, Rosinéia Oliveira, foi uma das vítimas do mosquito. Ela e sua mãe começaram a ter dores pelo corpo, febre e irritação na pele no mesmo dia e precisaram ficar três dias de repouso.



“Tem uma casa próxima a minha que está para ser vendida e está abandonada. Lá creio que tenha focos com poças de água por causa da chuva”, contou Rosinéia. Ela mora no bairro da Palmeira, que teve um aumento de 6,7 para 7,9 no índice, mas não está entre os bairros mais afetados.



De acordo com o LIRAa, o bairro das Malvinas é o que mais preocupa, com incidência que subiu de 6,4 para 12,7. O local é seguido no ranking por Jardim Paulistano (11,2), Cruzeiro (11,2), Serrotão (10,8) e Bodocongó (10,8). Entre os 51 bairros e três distritos, apenas Galante teve redução (de 3,4 pra 1,6).



Para a Gerente de Vigilância Ambiental em Saúde e Zoonoses, Rossandra Oliveira, existe uma junção de problemas na cidade que causaram o crescimento. “Infelizmente as chuvas que ocorreram e o mau hábito de colocar o lixo em terrenos baldios ajuda a proliferar o mosquito. Precisa de ações educativas incentivando as pessoas a jogar o lixo no lugar certo”, falou Rossandra.



Redação

Compartilhe