O ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, durante depoimento à Polícia Federal (PF), confessou as acusações feitas a ele no âmbito da Operação Xeque-Mate, que apura esquema de compra do mandato do ex-prefeito Luceninha, na Prefeitura Municipal de Cabedelo. Leto disse que o mandato de Luceninha realmente foi comprado.

Ao delegado da PF, Fabiano Emídio, Leto revelou que o dinheiro utilizado na transação partiu do empresário Roberto Santiago, dono do Mangabeira e Manaíra Shopping. O esquema teria como objetivo impedir a construção do Shopping Pátio Intermares, um empreendimento do Grupo Marquise.

Ainda segundo Leto, quatro vereadores teriam recebido dinheiro oriundo de propina para que dessem suporte a Roberto Santiago na Câmara, impedindo a instalação do shopping do Grupo Marquise. Leto acrescentou que os parlamentares beneficiados foram Janderson Brito, Benone, Jonas Pequeno e Josimar e, estes, teriam promissórias ao receberem R$ 200 mil para suas campanhas.

No depoimento, o ex-deputado federal André Amaral (PROS) é apontado como beneficiário de uma propina de R$ 100 mil, em contrapartida pela liberação de uma emenda.

Confira depoimento do ex-prefeito Leto Viana à PF:

""

""

""

PB Agora

 

 

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cartaxo volta a ser vítima de criminosos que usam o seu nome para aplicar golpes

Criminosos tentaram se passar mais uma vez pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), para aplicar golpes em empresários da Capital. Nesta segunda-feira (25), um novo boletim policial foi…

Vereador paraibano é baleado após ter casa invadida por criminosos, no Agreste

O vereador paraibano da cidade de Esperança, no Agreste, Carlos Luiz de Arruda Câmara, mais conhecido como Duí de Luziete (PSB), foi baleado na noite desse domingo (24) no momento…