João Pessoa, 20 de Março de 2019
Política
09/03/2019 as 18:27min - PB Agora
VÍDEO: presidente da Câmara Municipal de Sousa impede advogada agredida por Fábio Tayrone de ocupar tribuna da Casa

O sorriso já não anda tão largo no município de Sousa. Melhor avaliando, na Câmara Municipal, após o presidente da Casa, Radamés Estrela (PDT) impedir o uso da palavra à  advogada Myriam Gadelha, em sessão especial alusiva ao Dia Internacional da Mulher. O vereador Cacá Gadelha (PSDB), líder da oposição,  classificou a atitude do seu colega parlamentar como um “gesto de subserviência” ao prefeito da cidade, Fábio Fábio Tyrone (PSB).

O imbróglio ocorreu após a sessão ser encerrada de forma abrupta, segundo relato de Cacá Gadelha, não dando espaço para a advogada ocupar a tribuna e discorrer sobre o tema feminicídio e outros assuntos ligados aos direitos da mulher. Ativista do movimento feminista, Myriam Gadelha era esperada pelo público presente na sessão, asseverou o vereador tucano, que ficou revoltado com o posicionamento de Radamés Estrela.

Em vídeo enviado à redação do PB Agora, pode-se ver Cacá Gadelha e Myriam tecendo críticas ao presidente da Casa, e várias mulheres, aparentemente revoltadas, bradando: “Discursa, discursa, discursa...”.

“A Advogada Myriam Gadelha, que foi espancada de forma covarde pelo senhor prefeito municipal, ‘Cel Tyrone’, teve proibido pelo presidente da Câmara o seu direito de cidadã de usar a tribuna, onde iria falar sobre o movimento feminista. O nosso Poder se apequena diante da tamanha importância das mulheres. O presidente, atendendo ordem do Coronel, simplesmente encerrou a sessão, de forma truculenta e autoritária, pra variar”, argumentou Cacá Gadelha.

 Radamés Estrela se defendeu, informando que Myriam chegou com o irmão, Lafayette Gadelha. Nesse momento a vereadora Bruna Veras (PROS) pediu ao presidente que convidasse a advogada para compor a mesa. Ato contínuo, ela sentou-se juntamente com o irmão.

Após diversas falas, segundo Radamés Estrela, não havia mais inscritos para ocupar a tribuna. Nesse momento, ele deu como encerrada a sessão. Após o ato, Myriam Gadelha pediu a palavra, mas não lhe foi facultada, iniciando uma confusão generalizada. Para o presidente da Casa, não houve qualquer ato arbitrário da sua parte.

Já Cacá Gadelha discordou do presidente, afirmando “que todas as sessões especiais da Câmara Municipal de Sousa, de acordo com o regimento interno, tanto os vereadores, como as pessoas convidadas para a mesa têm o direito de uso da palavra, assim como é facultado, após todo o término da sessão, que o povo presente no auditório e nas galerias têm o direito de falar. E estranhamente, numa sessão tão importante destinada ao Dia Internacional da Mulher, ficamos surpresos quando a sessão foi encerrada de forma absurda”.

Cacá Gadelha foi mais além, explicando que Radamés Estrela tirou do ar a sessão da TV Câmara, que é transmitida em canal do YouTube. Por fim, o líder da oposição da Câmara Municipal de Sousa recomendou Myriam Gadelha buscar as vias judiciais, a fim de ter seu direito garantido a falar, “mesmo que seja em uma sessão ordinária”.

 

Eliabe Castor

PB Agora

Foto G1

VEJA VÍDEO


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Compartilhe