João Pessoa, 19 de Maio de 2019
Política
13/03/2019 as 21:50min - PB Agora
Na Paraíba, presidente nacional do PSOL cobra identificação de mandante do assassinato de Marielle

Em passagem pela Paraíba, o presidente nacional do PSOL Juliano Medeiros cobrou a identificação de mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e disse que o assassinato foi um crime foi “um crime político".

Juliano Franco afirmou que desde o assassinato da vereadora, o PSOL vinha cobrando das autoridades resultados concretos nas investigações, e a prisão dos autores do crime.

Ele lembrou que muitas linhas de investigações e hipóteses foram levantadas ao longo desse período, sendo que algumas delas, davam conta de que o assassinato tinha relação das denúncias de Marielle com o seu trabalho combativo contra a violência da polícia no Rio de Janeiro. Outra linha de investigação, apontava que o crime poderia ter sido arquitetado por um vereador colega de Marielle.

“Então foram muitas linhas de investigações sem que fossem produzidos um resultado concreto. Isso nos deixou muito angustiados” disse.

Juliano Medeiros Franco disse que a falta de informações sobre a natureza dos motivos que resultados na morte do vereadora, gerou um clima de insegurança entre os parlamentares do PSOL e de outras legendas no  Rio de Janeiro.

Categórico, Juliano Medeiros disse que o PSOL não tem dúvidas de que o crime de Marielle teve motivações políticas, causados pela atuação parlamentar da vereadora no Rio de Janeiro.

“Para nós está muito claro que se trata de um crime político. Não foi um latrocínio. Foi uma execução motivada seguramente pela atuação parlamentar da Marielle e do PSOL no Rio de Janeiro” afirmou.

Ele observou que os dois milicianos presos na madrugada dessa terça-feira, acusados se serem os autores dos disparos que mataram Marielle, não tinham razão para executar a vereadora. Juliano garantiu que Marielle não tinha um trabalho diretamente vinculada as milícias

O presidente nacional do PSOL, chegou na Paraíba nessa segunda-feira (11) e terça-feira (12). Entre os compromissos da agenda no estado, o dirigente do partido de esquerda estará no encerramento da campanha de Marcos Patrício, candidato do PSOL a prefeito de Cabedelo, nas Eleições Suplementares, marcadas para o próximo domingo (17).

Juliano Medeiros também participará de Ato de Filiação e Debate Sobre o papel do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) na Defesa dos Direitos e da Democracia. Esse evento acontecerá no Auditório do SINTESPB, na UFPB (Universidade Federal da Paraíba), no bairro Castelo Branco. 

 

Severino Lopes

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Compartilhe