João Pessoa, 22 de Janeiro de 2018
Saúde
13/04/2017 as 07:13min - PB Agora
Consumo de carne processada pode agravar sintomas da asma

 Ingerir grandes quantidades de carne processada, como salame e presunto, pode potencializar os sintomas da asma, segundo um estudo conduzido por pesquisadores franceses publicado no periódico Thorax. A equipe analisou dados médicos e hábitos alimentares de pessoas que tinham o problema respiratório e concluiu que comer quatro ou mais porções dessa proteína mensalmente pode gerar pioras em relação à enfermidade.

A composição da carne estaria por trás do problema, acreditam os pesquisadores. Trata-se de um alimento rico em nitritos, substância que pode causar inflamações nas vias aéreas. No estudo, foram analisados dados de 971 adultos, como peso, sintomas de asma e costumes alimentares, coletados entre 2011 e 2013. Também foram coletadas informações comportamentais e potencialmente influentes, como o tabagismo, a prática de atividade física regular e idade. Os participantes faziam parte do Epidemiological study on the genetics and environment of asthma (EGEA), uma investigação periódica para avaliar a saúde de pessoas que sofrem com o problema respiratório.

Pelas análises e comparações feitas, os cientistas liderados por Zhen Li, pesquisador do Hospital Paul Brousse, chegaram à conclusão de que os asmáticos que comeram mais carnes processadas tinham 76% mais chance de experimentar sintomas agravados da complicação respiratória do que aqueles que ingeriram o alimento em menores quantidades. O excesso de peso e a obesidade, bastante associados ao agravamento da asma, subiu a vulnerabilidade em 14%.

Os pesquisadores ressaltam que o estudo foi observacional, ou seja, não é possível tirar conclusões concretas sobre causa e efeito a partir dos resultados, mas destacam que a investigação indica que há um ponto que precisa ser mais estudado. “Essa pesquisa estende o efeito deletério da carne curada em adultos com o problema respiratório e fornece uma abordagem analítica inovadora sobre o papel da dieta em relação à asma”, concluíram.

Redação

Compartilhe